Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Gatos sempre caem de pé?

Como gatos têm uma clavícula (osso que liga o tronco aos membros superiores) pequena e sem função, é como se ela não existisse

Por Pedro Sobreiro Atualizado em 4 jul 2018, 20h17 - Publicado em 25 out 2016, 17h40

Na maioria das vezes, sim, mas não em todos os casos. Dentre os fatores envolvidos, o principal é a altura – o gato precisa de pelo menos meio metro para conseguir rotacionar o corpo. Além disso, também são variá-veis importantes a idade do gato, doenças que ele tem (ou já teve e influenciaram em sua formação) e se ele estava dormindo quando caiu. Mas, em geral, um gato adulto e saudável cai em pé, sim. Isso é possível graças a seus ossos flexíveis e a um reflexo chamado “síndrome do gato paraquedista”. Durante a queda, a cabeça do animal fica em posição desconfortável e ativa um conjunto de órgãos responsáveis pelo equilíbrio dos mamíferos, o sistema vestibular. Em fração de segundos, a musculatura rotaciona em direção ao solo e coloca o gato em uma posição que aumenta o atrito com o ar, reduzindo a velocidade da queda e do impacto. Mas não se engane: cair em pé não significa que os gatos não se machuquem ao despencar de lugares altos. Lesões internas e ossos quebrados podem acontecer. Se rolar com seu bichano, leve-o ao veterinário.

gato-em-pe-21. A cabeça em posição irregular faz aumentar a pressão no sistema vestibular, que fica dentro do ouvido do gato (e de todos os mamíferos) e auxilia na orientação

2. Dentro de um décimo de segundo, o cérebro manda impulsos elétricos para a musculatura virar o corpo. A cabeça é a primeira parte a girar, de modo que os olhos estejam virados para baixo

3. Enquanto a parte inferior do corpo rotaciona ainda de acordo com o movimento de queda, a parte superior já começa a girar no sentido oposto. Como gatos têm uma clavícula (osso que liga o tronco aos membros superiores) pequena e sem função, é como se ela não existisse. Assim, eles têm mais flexibilidade para mover as patas dianteiras

4. Seguindo a direção da parte superior do tronco, as patas traseiras giram e se alinham às outras. A cauda ajuda a estabilizar o felino. As patas dianteiras ficam estendidas para baixo. Elas ajudam o gato na orientação durante a queda e reduzem o impacto

5. O gato arqueia a coluna e estende as patas, aumentando o atrito com o ar e diminuindo a velocidade com que chega ao chão. Devido à sua baixa densidade óssea e ao porte pequeno, o gato reduz bastante a velocidade de queda

PERGUNTA DO LEITOR Fernando Campello Volcão, Pelotas, RS

FONTES Livros Communicating with Your Cat, de J. Anne Helgren, e The Cat Encyclopedia (vários autores); sites The Naked Scientists, Way of Cats, Boing Boing e Today I Found Out

Continua após a publicidade

Publicidade
Mundo Estranho
Gatos sempre caem de pé?
Como gatos têm uma clavícula (osso que liga o tronco aos membros superiores) pequena e sem função, é como se ela não existisse

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Transforme sua curiosidade em conhecimento. Assine a Super e continue lendo

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

App SUPER para celular e tablet, atualizado mensalmente.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)

Impressa + Digital

Plano completo da Super. Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Acesso ilimitado ao Site da SUPER, com conteúdos exclusivos e atualizados diariamente.

Receba mensalmente a SUPER impressa mais acesso imediato às edições digitais no App SUPER, para celular e tablet.

a partir de R$ 12,90/mês

Publicidade