Logo ME

É verdade que o Vaticano tem várias riquezas secretas?

Se tem uma coisa sobre o Vaticano, é que ele é rico

riquezas-do-vaticano

É difícil dizer, com precisão, o tamanho do patrimônio acumulado após séculos de catolicismo. A cidade-estado localizada em Roma goza de várias isenções fiscais e não precisa tornar sua contabilidade pública, como uma empresa comum. Além disso, o Vaticano abriga dezenas de obras de arte de valor imensurável. Mas há indícios concretos (desde terrenos e investimentos até objetos pessoais) que permitem estimar ao menos parte da riqueza papal.

Papa-tudo

Patrimônio inclui imóveis, ações e obras de arte

Um apê de responsa

Com piso de mármore do século 16 e cerca de dez salas grandes, o luxuoso apartamento que serve de moradia ao papa tem aproximadamente 230 m2, segundo estimativas. Não se sabe o valor do metro quadrado no Vaticano, mas, em Roma (onde a cidade-estado está localizada), ele pode chegar a até R$ 17 mil. Ou seja: o cafofo do pontífice valeria cerca de R$ 4 milhões

Banco imobiliário

A Igreja tem milhares de terrenos no mundo – muitos deles para uso de paróquias, escolas e hospitais. Estima-se que cerca de 700 são alugados para fins comerciais. A maioria fica na Itália, no Reino Unido, na França e na Suíça. Um desses imóveis serve de instalação para a joalheria Bvlgari, na New Bond Street – rua chique de Londres cujo aluguel gira em torno de US$ 9 mil por m2!

Cofrinho? Cofrão!

O Banco do Vaticano foi criado em 1942 para administrar os gastos da cidade-estado e as doações vindas do mundo todo. Chamado oficialmente de Instituto per le Opere di Religione, ele é um banco de investimentos. Quem aplica nele ajuda a manter, por exemplo, mais de 100 mil hospitais católicos ao redor do mundo. Estima-se que o banco guarde cerca de US$ 3,2 bilhões

Ilustra de peso

Além de obras de arte, a cidade-estado também abriga um arquivo com mais de 150 mil documentos históricos, situado em dois bunkers 6 m abaixo do solo. Lá, há uma rara edição da Divina Comédia, clássico escrito por Dante Alighieri no século 14, ilustrada por Sandro Botticelli. Só para ter uma ideia, obras desse pintor renascentista já foram avaliadas em até 20 milhões de euros

Ações em alta

O Vaticano também é dono de uma carteira de investimentos na casa dos US$ 4 bilhões. Ela inclui ações de várias empresas italianas, como Fiat e Alfa Romeo. Foram doadas à instituição na época do Tratado de Latrão, um acordo de 1929 que formalizou a cidade do Vaticano como um Estado soberano, independente da Itália

Tesouros da humanidade

O Vaticano detém obras cujo valor é inestimável, porque sequer é cogitado vendê-las. É o caso do quadro São Jerônimo, de Leonardo da Vinci, na Basílica de São Pedro. Sabe-se que a Mona Lisa, também de Da Vinci, foi avaliada em cerca de US$ 100 milhões. Não é exagero imaginar que o afresco de Michelangelo no teto da Capela Sistina, por exemplo, também chegaria a esse valor (ou passar)

Que luxo de acessório!

Alguns objetos pessoais do papa, como o anel e o cajado, são produzidos com metais e pedras preciosas. Também já houve tiaras papais (um tipo de coroa, não mais usada hoje em dia). Muitas foram presentes de chefes de Estado. Três feitas de ouro são exibidas em museus do Vaticano. A maior leva 9 kg do material, o que a faria custar R$ 900 mil. E sem contar as pedras preciosas!

OUTRAS CURIOSIDADES

  • Por volta do século 7, a Igreja Católica já era a maior proprietária de terras do mundo
  •  A Igreja recebe dízimos, laudêmios, pedágios e outros impostos sobre terras consideradas suas por todo o planeta
  • Há ainda outras 20 tiaras papais guardadas, a maioria feita de prata
  • O trono papal é um mistério. Alguns historiadores alegam que é de madeira coberta com bronze dourado; outros, que é de ouro puro

 

 

Consultoria Virgílio Caixeta Arraes, professor de história da Universidade de Brasília, e Ivan Manoel, professor de história da Unesp-Franca

Fontes Levantamento de 2012 do Global Property Guide, ranking global da consultoria Cushman & Wakefield, The Guardian, BBC e Folha de S.Paulo