Logo ME

Como é feito o clareamento dental?

A coloração causada pelo acúmulo de restos é eliminada com um gel abrasivo. Mas el tem menos efeito sobre manchas causadas por antibióticos

Com substâncias químicas que reagem com a sujeira que escurece os dentes. O processo é simples e consiste em aplicar um gel e deixá-lo agir por alguns minutos. É possível fazer o clareamento inteiramente com o dentista, combinar sessões no consultório com outras em casa ou fazer tudo apenas em domicílio.

Para ter resultados melhores, vale a pena fazer várias aplicações leves ao longo de bastante tempo (30 em um mês, por exemplo). Pessoas com gengivas especialmente sensíveis ou com problemas no esmalte devem falar com o dentista antes de tentar o clareamento, pois pode haver contraindicações. O procedimento também tem menos efeito sobre manchas causadas pelo uso de antibióticos.

Confira, a seguir, o passo a passo.

 

(Filipe Campoi/Mundo Estranho)

1) O dente é formado por várias camadas sobrepostas. A mais superficial é o esmalte, que é naturalmente porosa. Ao longo do tempo, pedacinhos de comida entram por essas microfissuras e se depositam na camada abaixo do esmalte, a dentina. É o acúmulo desse material que escurece o dente.

2) Antes de realizar o procedimento, é preciso fazer uma limpeza básica na estrutura dentária. O dentista usa uma ferramenta chamada cureta para limpar a placa bacteriana e o tártaro. Esse processo aumenta a eficácia do clareamento e evita dor e danos a alguma área especialmente sensível.

 

3) É preciso também proteger a gengiva. Se a aplicação for no consultório, o mais comum é cobri-la com um líquido protetor, que depois é exposto a um feixe de luz que o deixa mais rígido, como uma borracha. Em casa, como a substância clareadora é aplicado num molde, ela não chega a tocar as gengivas.

4) O dentista aplica o gel clareador nos dentes com uma seringa. Em todos os casos, o ingrediente ativo é o peróxido de hidrogênio (a popular água oxigenada) ou o peróxido de carbamida (o mais usado). Ambos causam uma reação de oxidação e quebram moléculas orgânicas, como as derivadas dos alimentos.

 

 

5) O gel penetra nas fissuras e reage com as substâncias. A reação faz com que as moléculas das manchas sejam decompostas em pedaços menores, como amônia (NH3), gás carbônico (CO2) e oxigênio (O2). Elas se soltam da dentina e são expulsas do dente. Como o processo é lento, várias sessões são necessárias.

6) Em casos nos quais se deseja acelerar o resultado, pode-se usar uma fonte potente de luz para estimular a reação do peróxido com as manchas. Isso produz mais oxigênio, o principal agente “limpador”. No entanto, alguns estudos questionam a real eficácia dessa técnica.

7) Em cada sessão no consultório, o paciente fica de 20 a 30 minutos com o gel na boca. Para limpar o dente, o dentista apenas esguicha-o com água, eliminando as sobras das reações químicas. Em casa, são seis horas com o gel, que podem ser durante o sono, e o produto é retirado com escovação.

 

CONSULTORIA Sizenando de Toledo Porto Neto, professor do Departamento de Odontologia Restauradora da Unesp de Araraquara

FONTES American Dental Association

Newsletter Conteúdo exclusivo para você
E-mail inválido warning
doneCadastro realizado com sucesso!